teste do iE

Aguar - Sistema de irrigação

Notícias

voltar

Dicas para Irrigação da Horta Caseira

10/01/2018

Muitas soluções viáveis podem ser encontradas. Há tecnologia disponível e o fator econômico é que irá pesar no bolso na hora da escolha de como irá fazer a irrigação da horta.

Confira a seguir as melhores dicas para não faltar água para suas hortaliças e ao mesmo tempo não precisar fazer você mesmo.

Volume de Irrigação para a Horta Caseira

Quase a totalidade das hortaliças tem curta vida útil de produção – questão de algumas semanas apenas. Elas necessitam de água para desenvolver seus tecidos, florescer e frutificar.

A qualidade de textura, turgidez e sabor de folhas, como no caso das alfaces e rúculas, depende da quantidade de água disponível. A escassez de água poderá propiciar a queda de botões e a planta não produzirá frutos, como no tomateiro.
Com a falta de água a planta começa a murchar.

Ao mesmo tempo, água demasiada nas regas ou períodos chuvosos também são prejudiciais. Aumentam o risco de doenças fúngicas e bacterioses, apodrecendo raízes e folhas.

Plantas produzem mais e com maior qualidade se a água é suficiente.
Água no solo na quantidade certa propicia bom desenvolvimento de raízes que exploram o substrato, obtendo maior quantidade de nutrientes.

Tanto a falta como o excesso prejudicam, debilitando a planta que fica vulnerável ao ataque de pragas e doenças.

Necessidade de Água para Diferentes Plantas


Hortaliças de folhas como as alfaces necessitam de mais água, assim como tomateiros e feijões, principalmente na época de crescimento vegetativo.

As plantas aromáticas necessitam de menor quantidade de água – o alecrim, por exemplo. O manjericão e a sálvia são mais sensíveis à escassez.

Procure sempre se informar da necessidade de volume de água e espaçamento da irrigação de cada uma de suas hortaliças.

Considere a Umidade do Solo da Horta


Muitos solos têm maior retenção de águas de chuvas e se mantém levemente úmidos propiciando bom cultivo.

Solos muito pesados com alto teor de argila podem ficar encharcados por longo tempo. Isso dificulta as práticas culturais e prejudicando as plantas cultivadas.

Já solos muito arenosos perdem água com facilidade. A percolação é imediata após a chuva ou regas e muitas vezes parece que está tudo úmido mas as plantas apresentam sintomas de seca.

Após uma chuva ou rega a água poderá evaporar da superfície do solo, percolar para águas mais profundas ou ficar retida mais na superfície do solo, onde há maior teor de matéria orgânica.

Quando a água está mais reduzida no solo, muitas ligações químicas retém o líquido, indisponibilizando sua utilização pelas plantas.

Chama-se de tensão à força com que o substrato retém a água dentro de ligações na sua estrutura, não liberando para as plantas.
Estas precisam despender muita energia para que as raízes suguem esta água.

Algumas soluções: a presença de matéria orgânica no substrato é benéfica, liberando nutrientes e água na medida das necessidades das plantas.

Tanto para solos argilosos com excesso de retenção como para os arenosos, o uso de composto orgânico facilita a aeração e melhora a permeabilidade propiciando a melhor utilização da água.

Este composto orgânico tanto pode ser a partir de restos vegetais e estercos curtidos, bem como vir da adição de húmus de minhoca.


Comentários